Educar filhos

“Lembre sempre a criança aprende mais com as atitudes e exemplos do que com as palavras”.

 

Educar não é uma tarefa fácil, mas algumas atitudes com disciplina podem ajudar a criança a se desenvolver de forma construtiva.

  • Amor

Demonstrar amor, carinho e dar atenção são a primeira etapa para uma boa relação.

  • Diálogo

Conversar com a criança, saber ouvir, entender o que estar sentindo e o que deseja. É preciso ensinar a criança a resolver seus problemas para que a mesma consiga lhe dar com suas frustrações e consiga resolver suas questões.

  • Ensinar a ter limites e responsabilidades

É preciso estabelecer limites, quando der uma ordem para a criança seja firme, se toda vez que disser alguma coisa e depois mudar de ideia a criança vai achar que sempre vai conseguir o que quer e você perdera a autoridade. Quando pedir para a criança fazer alguma atividade não ofereça nada em troca, a criança precisa aprender que ter responsabilidades não é troca de favores.

  • Superproteção

 A proteção é necessária, mas a superproteção não é saudável para a criança elas precisam entender que não podem tudo e que o “Não”  fara parte de sua vida.

  • Comparações

Nunca compare um filho com o outro, dizendo que o outro é mais inteligente ou outras comparações, essas comparações trazem grandes prejuízos emocionais.

  • Elogie

 Receber só critica, diminui a autoestima, procure valorizar as qualidades da criança e elogie sempre, descubra junto com ela as atividades que gosta e ajude a desempenha-las.

  • Brincar com a criança

 Proponha momentos de lazer com a família e procure fazer desses momentos agradáveis e felizes.

 

Copyright 2011 – Psicóloga keila Oliveira Paulin- Todos os direitos reservados

Adolescência

Fase de descobertas

Preciso definir minha personalidade, mas como é difícil.

São mudanças físicas, psicológicas e sociais.

Olho-me no espelho e me acho estranho.

Sinto-me confuso com minhas ideias.

O mundo dos adultos é muito complicado,

ter responsabilidades é muito difícil.

Sou cobrado o tempo todo.

Meus pais falam que preciso pensar no futuro.

Preciso estudar muito e que logo vou ter que decidir qual profissão seguir.

De repente me apaixonei e me vejo sofrendo por amor.

Meus pais não entendem minhas ideias, somente meus amigos me

compreendem.

Quero ser igual aos meus amigos, porque é estranho ser diferente.

Meus pais alertam sobre os perigos da vida, dizem que certas escolhas,

podem interferir em toda a minha vida.

Estou tão confuso, será que alguém pode me ajudar?

O texto relata um pouco da angústia vivida pelos adolescentes. A orientação da família nessa fase de desenvolvimento é muito importante. As características principais que precisa existir em uma família. São o amor, diálogo e o respeito.

Uma relação familiar saudável serve como fator de proteção para o adolescente. Os pais precisam:

  • Ter envolvimento afetivo com seus filhos
  • Entender seus problemas e conceitos pessoais
  • Saber ouvir
  • Dialogar
  • Dar suporte emocional
Copyright 2011 – Psicóloga Keila Oliveira Paulin- Todos os direitos reservados

Estresse

Conhecendo o estresse

O estresse é uma reação natural do organismo diante de um estímulo ou situação especial de tensão ou de intensa emoção, que pode ocorrer com qualquer pessoa.

O estresse pode ser um dos maiores fatores de risco para a vida e para a qualidade do viver de todos. A pessoa estressada não se sente bem, não consegue produzir de acordo com seu potencial, não interage com as pessoas e corre grande risco de adoecer.

No entanto, se a pessoa aprende a lidar com seu estresse, este pode ser útil, pois em doses pequenas ele da energia, vigor, aumenta a produtividade e melhora a qualidade de vida. O segredo está em dominar o estresse e não ficar sob o seu comando (LIPP, 2000).

O que causa o estresse.

O estresse surge quando a quantidade de exigências e de tensões, é excessiva para a resistência da pessoa. Toda mudança seja ela para melhor ou para pior, traz consigo a necessidade de uma adaptação à nova condição.

Dificuldades do dia-a-dia, doenças, desemprego, brigas, acidentes e perdas importantes. Muitas mudanças na vida, mesmo que para melhor, quando ocorrem muito juntas no tempo podem ter um efeito somatório de produzir estresse.

Há também o que chamamos de fontes internas de stress que podem ter um efeito ainda maior no organismo, tais como os pensamentos, sentimentos e o nosso modo típico de reagir em certas situações ( LIPP,2000).

Copyright 2012 – Psicóloga Keila Oliveira Paulin- Todos os direitos reservados

A pedofilia dentro do mundo virtual.

Atualmente,  estamos assistindo vários casos de pedofilia no mundo todo, os pedófilos têm a internet como uma fonte de grande valia para as suas fantasias sexuais e a pedofilia também está inserida em muitos lares. Basta começarmos a ler uma revista, folhear um jornal, assistir televisão, que estaremos vendo casos de alguém que abusou de uma criança. Na internet encontramos vários casos de pedofilia.

Além disso, a internet  é um grande aliado do pedófilo, onde ele entra em salas de bate papo, chats, sites de relacionamentos, aonde vão se relacionar com as crianças passando por outras pessoas, agindo de forma amiga, sendo sedutor na linguagem de uma criança, onde vão pedir fotos, pedir que a criança abra a webcam, pedem dados pessoais da criança, perguntam onde moram, ondem estudam… Por esses motivos os pais precisam monitorar o que os filhos estão fazendo na internet. A internet é uma fonte necessária, mas a criança precisa estar ciente dos perigos que existem. Cabe os pais explicarem aos filhos os riscos que se encontram na rede.

É preciso combater a pedofilia é uma questão vital para a sociedade. As crianças precisam ter o direito de ser criança.

Copyright 2016 – Psicóloga Keila Oliveira Paulin- Todos os direitos reservados

Divórcio

Antes da separação os conjugues concentram-se no que está faltando e não nas necessidades que estão sendo satisfeitas.

É um momento de alta vulnerabilidade e frustração  pois é o fim de um sonho de um final feliz que foi planejado e sonhado durante anos. O casamento feliz para sempre é o sonho de muita gente, afinal crescemos ouvindo historias de finais felizes, a sociedade nós cobra e a família requer.

No primeiro ano de divórcio as pessoas se tornam irritadas e tristes, porém existe a necessidade de manter a auto estima e para isso direciona a raiva e a culpa ao outro. É uma fase propensa à perda de amigos, solidão, desequilíbrio, insônia, estresse, depressão, dificuldades financeiras, consumo de álcool e drogas.

O divórcio quando mal resolvido pode desestruturar toda a família e trazer problemas futuros. É importante procurar ajuda nesse momento se bem resolvido pode ser de crescimento pessoal e trazer bem estar efísico e psicológico.

Copyright 2020 – Psicóloga Keila Oliveira Paulin- Todos os direitos reservados

Ansiedade

A ansiedade é uma sensação de sentimento decorrente da excessiva excitação do sistema nervoso central consequentemente a uma situação de perigo.

  • Quais são os sintomas da ansiedade:

Tremores, dor muscular, sensação de fraqueza, inquietação, fadiga, palpitações, impaciência, sudorese, dificuldade de concentração ou memória prejudicada…

  • Causas da ansiedade:

Com tanta competitividade, dificuldades nos relacionamentos, frustrações, mudanças de vidas, consumismo, globalização e tantos outros agentes poderosos seriam impossíveis não vivenciarmos momentos de tensão. Ficamos nervosos, angustiados, sentimos medos, ficamos chateados e preocupados, é normal termos esses sentimentos, mas quando esses sentimentos ocorrem quase que diariamente ou muitas vezes durante a semana, a pessoa pode estar apresentando Distúrbio de Ansiedade.

Tratamento

É preciso verificar a causas e buscar o tratamento adequado.

  • Acompanhamento psicoterápico
  • Acompanhamento psiquiátrico
  • Exercícios relaxantes

Os principais distúrbios de ansiedade são: ansiedade generalizada, ansiedade induzida por substancias, transtorno do pânico, agorafobia, fobia social, fobia especifica, transtorno obsessivo-compulsivo, transtorno de estresse pós traumático.

  • Ansiedade generalizada- estado de ansiedade e preocupação excessiva sobre diversos eventos da vida.
  • Ansiedade induzida por substancias- ocorre quando o uso de determinada substâncias leva a um ou mais transtornos ansiosos como: ansiedade generalizada, ataque de pânico, sintomas obsessivo compulsivo, sintomas fóbicos. O início pode ocorrer durante o uso excessivo (intoxicação) ou durante a abstinência (logo após a interrupção do uso).
  • Transtorno de Pânico- é quando ocorrem ataques de pânico, repetidos e inesperados ou um ataque quando seguido pelo menos um mês de preocupações de um novo ataque.
  • Agorafobia- a ansiedade que sente em locais ou situações onde possa ser difícil ou embaraçoso escapar, e o auxilio pode não estar disponível na eventualidade. Pode acontecer também quando a pessoa está só, é o medo de ter medo.
  • Fobia social- é o medo persistente de situações em que a pessoa acredita estar exposta a avaliação dos outros, ou se comportar de maneira humilhante ou vergonhosa.
  • Fobia especifica- é um medo excessivo e irracional revelado pela presença, ou antecipação da presença de um objeto ou situação que pode causar pavor. Quando há intensa ansiedade, pode levar ao ataque de pânico.
  • Transtorno obsessivo compulsivo- é caracterizado pela presença de pensamento (obsessões) e atos compulsivos (rituais). Obsessões são ideias que surgem repetidamente ou invadem nossa consciência de uma forma ivoluntária e atos compulsivos são comportamentos estereotipados, sem finalidade útil e geralmente reconhecidos como irracionais e ineficazes.
  • Transtorno de estresse pós traumático- caracteriza-se pela revivência de um evento extremamente traumático, acompanhada por sintomas de excitação aumentada e esquiva de estímulos associados com o trauma.

Copyright 2021 – Psicóloga Keila Oliveira Paulin- Todos os direitos reservados

Estresse em Crianças na relação pais-filhos após a Separação Conjugal

O estresse não é um mal que atinge só os adultos, ele também atinge as crianças. Quando mais cedo for detectada uma situação de estresse em crianças mais facilmente essa superação vai acontecer.

A Separação Conjugal traz grande ansiedade a criança onde sente ameaçadas e muitas das vezes fica no meio das brigas dos pais e sente culpadas pela separação, esses sentimento pode acarretar um quadro de estresse infantil.

Embora os pais estejam passando por um momento difícil é preciso às definições dos papeis que cada um vai ter após a separação. Precisam tomar consciência da necessidade de ajuda e compreensão que os filhos precisam nesse momento. Para que as brigas do casal não influenciem no relacionamento e não venha prejudicar o desenvolvimento de seus filhos.

A importância da família para o desenvolvimento da criança é essencial, mesmo que os pais estejam separados, pensar na educação dos filhos, oferecer proteção, carinho é de suma importância para a criança.

É preciso que haja envolvimento de ambos os pais, pensar em condições de um bom convívio para que exista uma relação positiva após divórcio, para que as crianças possam ter um crescimento saudável.

  • Evite falar mal do ex-marido;
  • Não o critique  perto dos filhos;
  • Procure decidir os assuntos principalmente a questão financeira longe da criança;
  • Procura manter uma relação boa;
  • Importante que os filhos passa momentos agradáveis com os dois;
  • Em data comemorativas como aniversário, é importante que os dois participem;

São pequenas atitudes que podem fazer uma grande diferença na vida da criança.

Copyright 2011 – Psicóloga Keila Oliveira Paulin- Todos os direitos reservados