Autoestima

 

Autoestima é uma avaliação emocional que a pessoa faz de si mesmo, de sua aparência física, realizações pessoais e profissionais e de sua vida afetiva.

 

 

Os pilares da autoestima são:

  • Autoaceitação
  • Autoconfiança
  • Competência social
  • Rede de relacionamentos

 

Característica da baixa auto estima

  • Insegurança
  • Perfeccionismo
  • Depressão
  • Necessidade de agradar, aprovação
  • Dúvidas quem é você…

 

O que diminui a autoestima

  • Críticas e autocríticas
  • Culpa
  • Insegurança
  • Medo
  • Timidez
  • Rejeição…

 

Ter uma boa Autoestima

  • Desenvolver autoconfiança
  • Auto- respeito
  • Sentir confiante
  • Desenvolver autoimagem (é o que percebe de si mesma)

 

Copyright 2021 – Psicóloga Keila Oliveira Paulin- Todos os direitos reservados

Técnica   do Semáforo das emoções

 

Essa técnica ensina a criança a regular suas emoções e pensar antes de agir.

Luz Vermelha = Pare 

Algo esta errado no momento, peça para a criança parar e respirar e conscientize a criança das quais emoções ela esta sentindo.

Luz Amarela = Atenção   

Converse com a criança sobre o que esta acontecendo, e ajude a pensar em possíveis soluções.

Luz Verde =  Siga em frente

 A criança está tranquila, hora de seguir em frente.

 

Copyright 2021 – Psicóloga Keila Oliveira Paulin- Todos os direitos reservados

Leia com seu filho

A leitura é um momento lúdico para a criança que desenvolve a sua imaginação, criatividade, linguagem e aumenta o seu vocabulário.

Leia junto com seu filho e proporcione momentos de afeto com a família.

  • Procure ter o momento da leitura todos os dias.
  • Faça um cantinho da leitura em casa.
  • Troque o nome do protagonista pelo nome da criança.
  • Mude o tom da voz.
  • Mostre as imagens para a criança e peça para ela contar a sua própria história.
  • Pede para ela comentar a história
  • Pergunta o que ela faria de diferente.
  • Crie a sua própria história.

 

Escolha o seu livro e aproveite esse momento e colecione boas memórias junto com o seu filho.

 

Copyright 2021 – Psicóloga Keila Oliveira Paulin- Todos os direitos reservados

Atividade física como fator de saúde

Bem estar físico e psicológico

A atividade física apresenta diversos efeitos benéficos ao organismo, restaura a saúde e pode aliviar o estresse.

Os bens psicológicos que esta pratica pode trazer.

  • Melhoria na qualidade de vida
  • Mais energia
  • Controle do estresse
  • Melhora da autoestima
  • Redução dos níveis de depressão e ansiedade
  • Melhora o humor

 

VOCÊ PODE COMEÇAR FAZENDO UMA CAMINHADA.

Copyright 2021 – Psicóloga Keila Oliveira Paulin- Todos os direitos reservados

Transtorno de Ansiedade Infantil

Kid got stress doing homework or prepare for exam. Cartoon schoolboy sitting at desk holding head, textbooks piles and test paper forms scattered around. Sad student in school Vector illustration

É comum a criança apresentar sintomas de ansiedade diante de algumas situações. É necessário estar atento ao comportamento que a criança esteja apresentando, se os sintomas for persistente e estiver prejudicando seu cotidiano é necessário buscar ajuda.

Crianças com Transtorno de Ansiedade costumam ter mais dificuldades na vida social e escolar e pode vir até atrapalhar seu desenvolvimento.

 

O que pode gerar ansiedade:

  • Relacionamento inseguro com os cuidadores
  • Medo
  • Culpa
  • Insegurança
  • Preocupação…
  •  

Alguns sintomas físicos da ansiedade:

  • Palidez
  • Palpitações
  • Falta de ar
  • Boca seca
  • Tremores
  • Sudorese

Procure ajuda, a intervenção de um profissional no tratamento da ansiedade é fundamental.

Copyright 2021 – Psicóloga Keila Oliveira Paulin- Todos os direitos reservados

Violência e abuso sexual na família

Todos os dias milhares de crianças são abusadas e maltratadas pela própria família. A frequência que esses crimes acontecem é vistas pelos meios de comunicação todos os dias, mas muitos dos casos não são mostrados são famílias que vivem e sofrem esse pesadelo em silêncio.

No Brasil, a violência intrafamiliar contra mulheres, crianças e adolescentes é um fenômeno social grave. Essas crianças são abusadas fisicamente e confrontadas com surras e ameaças psíquicas para que fiquem caladas.

Pesquisas mostram que a maioria dos abusadores está inserida na própria família, são pais, padrastos e tios. São as pessoas que estão próximas a crianças e que de alguma forma pode manipulá-los.

As pesquisas também mostram que a violência contra mulheres e crianças do sexo feminino são maiores do que o sexo masculino, não que os meninos não sofrem abuso mais no âmbito familiar ocorre em menor proporção.

A incidência maior de abuso sexual contra meninos acontece fora da família, em geral perpetrado por adultos não parentes.

É importante estar atento ao comportamento das crianças, as famílias estão se distanciando e o diálogo com os filhos estão cada vez mais raros, e muitas das vezes a mãe (ou cuidador) vai descobrir depois de muito tempo de abuso.

A família o lar são a maior proteção que uma criança poderia ter contra os perigos da vida, onde encontraria amor, estaria sendo cuidada e protegida, mais em muitos lares não é amor que elas recebem e sim são maltratadas e abusadas. Enquanto algumas crianças brincam e recebe amor outras são vítimas de abusos e violência sexual em seu próprio lar.

É preciso combater os abusos contra as crianças, seja denunciando ou levando a informação para que as pessoas denuncie sem medo.

Disque 100– Denuncias contra violação dos direitos das crianças e adolecentes.

Conselho Tutelar– Procure o conselho mais próximo da sua casa.

Copyright 2021 – Psicóloga Keila Oliveira Paulin- Todos os direitos reservados

Homossexualidade

Quando o paciente procura terapia não é por ele ser homossexual é porque ele vem sofrendo com a não aceitação da família e com o preconceito e a violência por parte da sociedade.

O psicólogo vai orientar o indivíduo, não no sentido de mudar suas atitudes em relação a sua orientação sexual, mas para compreender a dinâmica total de sua personalidade para que o seu crescimento pessoal seja saudável.

orientação sexual de uma pessoa indica por quais gêneros  ela sente-se atraída, seja física, romântica e/ou emocionalmente.

Identidade de gênero– é como a pessoa se sente  e identifica como sendo uma mulher ou homem.

Homossexuais: indivíduos que tem orientação sexual e afetiva por pessoas do mesmo sexo.

Assexual: indivíduos que não tem nenhuma atração sexual.

Heterossexual: indivíduos que sentem atração pelo gênero oposto.

Gays: são indivíduos que se relacionam afetiva e sexualmente com pessoas do mesmo sexo.

Bissexuais: indivíduos que se relacionam afetiva e sexualmente com pessoas de qualquer sexo.

Lésbicas: são mulheres que tem atração sexual, física e afetiva por outra mulher.

Transexuais: são indivíduos que não aceitam o sexo e se identifica com o sexo oposto. (a maioria deseja fazer a cirurgia para mudança de sexo).

Travesti: são indivíduos que não desejam mudar de sexo, normalmente vivem uma parte do dia como se fossem do sexo oposto, ficam fisicamente parecidos com o sexo oposto.

Copyright 2015 – Psicóloga Keila Oliveira Paulin- Todos os direitos reservados

Separação: E como ficam as crianças.

Os filhos sempre sofrem com a separação dos pais, mas não precisa ser um problema para a vida deles, o importante é como os pais lidam com a separação e de que maneira vão conviver com os filhos.

Quando os pais se separam a criança precisa de um tempo para se adaptar à nova situação. Normalmente as crianças têm algumas alterações emocionais, é importante sempre oferecer explicações do que esta acontecendo conforme o entendimento das crianças.

Os fatores mais importantes de uma relação entre pais e filhos é a convivência, o respeito, o diálogo e o amor. Os pais precisam tranquilizar as crianças, sempre reforçando que ela sempre será amada e cuidada por eles para que possam sentir seguras.

A criança terá um desenvolvimento saudável se ela tiver uma relação positiva e estável com ambos os pais.

Após a separação ambos precisam separar o seu papel, a relação homem/ mulher acabou, mas o papel pai/ mãe é para sempre.

Se nesse momento a família estiver com muitos conflitos e não esteja conseguindo lhe dar com a situação é importante que procure ajuda de um Profissional.

Copyright 2014 – Psicóloga Keila Oliveira Paulin- Todos os direitos reservados

Transtorno de Ansiedade de Separação

A característica essencial do Transtorno de Ansiedade de Separação é a ansiedade excessiva envolvendo o afastamento de casa ou de figuras importantes de vinculação.

Quando a criança se afasta dos pais ou de seus cuidadores e temem que algo de ruim possa acontecer a si mesmo ou aos seus cuidadores, em consequência passam a ter um comportamento excessivo de apego.

Quando a criança vai se ausentar ou o afastamento realmente ocorre, manifestações somáticas de ansiedade, tais como dor abdominal, dor de cabeça, náusea e vômitos são comuns. Esses sintomas prejudicam a autonomia da  criança, que não deseja mais ir à escola, tem medo de dormir sozinha e sempre quer alguém por perto.

Como a família pode ajudar a criança

  • É preciso trabalhar com a criança sua autonomia para que ela possa se sentir segura;

  • Transmitir confiança e segurança para a criança;

  • Ajude a criança a compreender seus medos;

  • Quando a criança sente segura com os seus familiares ela consegue confiar mais em outras pessoas.

  • Ajude a criança a interagir com outras pessoas;

O transtorno de ansiedade de separação deve ser tratado o mais precocemente possível, para aliviar o sofrimento da criança e para prevenir maiores complicações na vida adulta.

Copyright 2015 – Psicóloga Keila Oliveira Paulin- Todos os direitos reservados