A pedofilia dentro do mundo virtual.

Atualmente,  estamos assistindo vários casos de pedofilia no mundo todo, os pedófilos têm a internet como uma fonte de grande valia para as suas fantasias sexuais e a pedofilia também está inserida em muitos lares. Basta começarmos a ler uma revista, folhear um jornal, assistir televisão, que estaremos vendo casos de alguém que abusou de uma criança. Na internet encontramos vários casos de pedofilia.

Além disso, a internet  é um grande aliado do pedófilo, onde ele entra em salas de bate papo, chats, sites de relacionamentos, aonde vão se relacionar com as crianças passando por outras pessoas, agindo de forma amiga, sendo sedutor na linguagem de uma criança, onde vão pedir fotos, pedir que a criança abra a webcam, pedem dados pessoais da criança, perguntam onde moram, ondem estudam… Por esses motivos os pais precisam monitorar o que os filhos estão fazendo na internet. A internet é uma fonte necessária, mas a criança precisa estar ciente dos perigos que existem. Cabe os pais explicarem aos filhos os riscos que se encontram na rede.

É preciso combater a pedofilia é uma questão vital para a sociedade. As crianças precisam ter o direito de ser criança.

Copyright 2016 – Psicóloga Keila Oliveira Paulin- Todos os direitos reservados

Divórcio

Antes da separação os conjugues concentram-se no que está faltando e não nas necessidades que estão sendo satisfeitas.

É um momento de alta vulnerabilidade e frustração  pois é o fim de um sonho de um final feliz que foi planejado e sonhado durante anos. O casamento feliz para sempre é o sonho de muita gente, afinal crescemos ouvindo historias de finais felizes, a sociedade nós cobra e a família requer.

No primeiro ano de divórcio as pessoas se tornam irritadas e tristes, porém existe a necessidade de manter a auto estima e para isso direciona a raiva e a culpa ao outro. É uma fase propensa à perda de amigos, solidão, desequilíbrio, insônia, estresse, depressão, dificuldades financeiras, consumo de álcool e drogas.

O divórcio quando mal resolvido pode desestruturar toda a família e trazer problemas futuros. É importante procurar ajuda nesse momento se bem resolvido pode ser de crescimento pessoal e trazer bem estar efísico e psicológico.

Copyright 2020 – Psicóloga Keila Oliveira Paulin- Todos os direitos reservados

Ansiedade

A ansiedade é uma sensação de sentimento decorrente da excessiva excitação do sistema nervoso central consequentemente a uma situação de perigo.

  • Quais são os sintomas da ansiedade:

Tremores, dor muscular, sensação de fraqueza, inquietação, fadiga, palpitações, impaciência, sudorese, dificuldade de concentração ou memória prejudicada…

  • Causas da ansiedade:

Com tanta competitividade, dificuldades nos relacionamentos, frustrações, mudanças de vidas, consumismo, globalização e tantos outros agentes poderosos seriam impossíveis não vivenciarmos momentos de tensão. Ficamos nervosos, angustiados, sentimos medos, ficamos chateados e preocupados, é normal termos esses sentimentos, mas quando esses sentimentos ocorrem quase que diariamente ou muitas vezes durante a semana, a pessoa pode estar apresentando Distúrbio de Ansiedade.

Tratamento

É preciso verificar a causas e buscar o tratamento adequado.

  • Acompanhamento psicoterápico
  • Acompanhamento psiquiátrico
  • Exercícios relaxantes

Os principais distúrbios de ansiedade são: ansiedade generalizada, ansiedade induzida por substancias, transtorno do pânico, agorafobia, fobia social, fobia especifica, transtorno obsessivo-compulsivo, transtorno de estresse pós traumático.

  • Ansiedade generalizada- estado de ansiedade e preocupação excessiva sobre diversos eventos da vida.
  • Ansiedade induzida por substancias- ocorre quando o uso de determinada substâncias leva a um ou mais transtornos ansiosos como: ansiedade generalizada, ataque de pânico, sintomas obsessivo compulsivo, sintomas fóbicos. O início pode ocorrer durante o uso excessivo (intoxicação) ou durante a abstinência (logo após a interrupção do uso).
  • Transtorno de Pânico- é quando ocorrem ataques de pânico, repetidos e inesperados ou um ataque quando seguido pelo menos um mês de preocupações de um novo ataque.
  • Agorafobia- a ansiedade que sente em locais ou situações onde possa ser difícil ou embaraçoso escapar, e o auxilio pode não estar disponível na eventualidade. Pode acontecer também quando a pessoa está só, é o medo de ter medo.
  • Fobia social- é o medo persistente de situações em que a pessoa acredita estar exposta a avaliação dos outros, ou se comportar de maneira humilhante ou vergonhosa.
  • Fobia especifica- é um medo excessivo e irracional revelado pela presença, ou antecipação da presença de um objeto ou situação que pode causar pavor. Quando há intensa ansiedade, pode levar ao ataque de pânico.
  • Transtorno obsessivo compulsivo- é caracterizado pela presença de pensamento (obsessões) e atos compulsivos (rituais). Obsessões são ideias que surgem repetidamente ou invadem nossa consciência de uma forma ivoluntária e atos compulsivos são comportamentos estereotipados, sem finalidade útil e geralmente reconhecidos como irracionais e ineficazes.
  • Transtorno de estresse pós traumático- caracteriza-se pela revivência de um evento extremamente traumático, acompanhada por sintomas de excitação aumentada e esquiva de estímulos associados com o trauma.

Copyright 2021 – Psicóloga Keila Oliveira Paulin- Todos os direitos reservados